Parte VII: Fundação Khyentse como Patrona do Budismo

Parte VII: Fundação Khyentse como Patrona do Budismo

Este artigo na série “Reis Patronos” é extraído dos comentários de Rinpoche na reunião de planejamento da FK Ásia em Taipei, Taiwan, em 10 de maio de 2006.

Eu acredito que estamos fazendo algo bastante valioso, algo que pode se tornar um exemplo especialmente para os tibetanos. Já estou ouvindo alguns sussurros de outros lamas e rinpoches, e eles estão começando a ver algum tipo de benefício no que estamos fazendo. Houve algumas sobrancelhas erguidas quando eu estava começando a fazer isso, por não ser uma iniciativa costumeira de se ver. Estou, mais do que nunca, determinado agora, especialmente depois que Sin Ming veio recentemente ao Instituto Dzongsar e nos deu uma grande palestra sobre doação. (Veja “Novo Comitê de Gestão do Instituto Dzongsar Índia” no Comunicado da FK, Verão de 2006.)

O que estamos fazendo não é algo de benefício temporário, mas algo que realmente seguirá beneficiando a longo prazo. Que beneficie não apenas algumas pessoas – espero que a muitas pessoas, estamos falando de dezenas de milhares.

Desde o momento em que a Fundação Khyentse foi concebida até agora não transcorreu  um tempo muito longo. [A FK foi criada em novembro de 2001.] Quando olho para suas realizações, realmente me sinto muito feliz.

Eu acho que um sistema de apoio é muito importante. Mesmo quando Buda estava vivo, quando ele estava esmolando com uma tigela de mendicância, havia um sistema de apoio. Quando Buda caminhou na rua e esmolou, estava garantido que haveria suporte. Não havia nenhuma preocupação.

E, após o tempo de Buda, o budismo floresceu em diferentes partes do mundo, como a China e a Índia. Houve muitas razões para o florescimento do Budismo, mas uma das principais razões foi o sistema de apoio muito forte, envolvendo todos, desde reis até cortesãs, empresários até a população em geral.

Geralmente, quando nós, seres humanos, apoiamos algo, sempre temos um motivo. Nós apoiamos algo com que nos beneficiaremos e talvez ao mundo. No entanto, a motivação e o objeto de suporte diferem. Estamos aqui porque acreditamos que as palavras e o caminho de Buda nos beneficiarão individualmente e ao mundo em geral. Portanto, apoiar esse tipo de instituição é algo que sentimos ser muito importante.

Quando chegamos à ação de apoio, há diferentes caminhos. Quando falamos sobre a prática do desapego, a prática da generosidade ou a prática da renúncia, uma maneira de realizá-las é oferecer coisas. O objetivo é desapegar ou acumular mérito.

Há outra maneira, que é o que chamamos de suporte. Ao acumular mérito, ao praticar o desapego, há também um determinado plano, um certo objetivo.

Mesmo durante o tempo de Buda, havia um patrocinador principal, Sudatta. O Sutra do Diamante foi ensinado em seu jardim. Quando este comerciante pediu permissão ao Buda para se tornar um monge, Buda disse que “não, você precisa seguir como um homem de negócios, você deve apoiar a sangha. Isso é planejamento.”

A Fundação Khyentse está tentando praticar esse tipo de sistema de suporte.

Habilidades

Postado em

setembro 30, 2006

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *